Todos por ela - esclerose lateral amiotrófica

Todos por Ela

Informativo perguntas e respostas

Pergunta: O que vcs acham da eletroestimulação no tratamento da ELA?
A eletroestimulação tem sido usada em reabilitação neurológica, especialmente após isquemias cerebrais e lesão medular. Diferente do que oorre nestas situaões, na ELA há degeneração dos neurônios motores e consequente perda do estímulo trófico ao músculo. Este estímulo, necessário para a manutenção da massa muscular, não é conseguido pela estimulação elétrica do músculo ou das terminações nervosas remanescentes. Sendo assim, não está indicado o uso de eletroestimulação com o objetivo de manter força ou função.
Algumas formas de eletroestimulação podem ser usadas no tratamento de dor. Como a imobilidade e atrofia muscular da ELA podem desencadear dor, nesta situação a eletroestimulação poderia ter utilidade.

Atenciosamente

Dr. Francisco Rotta
Pergunta: O que é ELA?
ELA é a nomenclatura de Esclerose Lateral Amiotrófica, doença
neurológica na qual ocorre a degeneração dos neurônios motores.
Pergunta: Como faço para conseguir comprar o adaptador para firmar os dedos, apresentado na revista Istoé do dia 23/06?
Essa caneta publicada na Isto é esta em nosso site, no MIBRELA (manual interativo brasileiro de esclerose lateral amiotrofica). O objetivo desse manual é mostrar ao paciente de ELA os dispositivos que estão disponíveis no mercado e que são indicados para eles.
Todavia, ressalto que é importante o paciente passar por um terapeuta ocupacional, pois ele poderá averiguar se essa realmente é a adaptação mais indicada para o paciente, pois pode ter outro modelo que se adeque melhor ao paciente.
No caso dessa caneta, ela é fabricada pela Sammons Preston, uma empresa americana de produtos para reabilitação e adaptações. Alguns de seus produtos são revendidos no Brasil pela MNSuprimentos, no entanto essa caneta eles não trouxeram para o Brasil. Há duas opções caso você queria adquirir:
1. Comprar no exterior e importar nesse caso tem a Anditec, em Portugal; pelo site da própria SammonsPreston; ou pelo site da Amazon.com
2. Tentar customizar uma caneta pequena, tendo por base o modelo da Ring Pen (boa solução, que vai exigir um pouco da sua criatividade, ou que um terapeuta ocupacional pode fazer).
Pergunta: Quanto a novos medicamentos nada de novo? Entre os ensaios clinicos e testes realizados mundo a fora qual ou quais os mais promissores e próximos da realidade? Em quanto tempo isso pode chegar até nós?
O riluzol continua sendo a única droga efetiva e aprovada pelo FDA no tratamento da doença. Entretanto, a lista de novos compostos novos que estão em teste é bem extensa. O RO-28-2653 e o ONO-2506 fazem parte desta lista. Ainda, drogas utilizadas em outras doenças neurodegenerativas, como Alzheimer, também estão sob avaliação. Um exemplo é a Memantina, que apesar de bem tolerada pelos pacientes com ELA não se mostrou eficaz.

Dentre as formulações com potencial para o tratamento destacam-se o Rh-GSF e o AEOL10150, sendo o último considerado o mais promissor de todos. Ensaios clínicos com este composto já estão em andamento.

Estimar o tempo para que um medicamento, ainda em teste, esteja disponível é extremamente difícil. Muitas vezes, os resultados obtidos em uma determinada etapa não são repetidos na seguinte. Os inúmeros passos nesta avaliação são necessários para garantir que a nova molécula traga benefício e não mais um problema para o paciente.
Miguel Mitne Neto
Pergunta: Gostaria de saber se procede a seguinte informação: corticoides + carbolitium 300 + depakene 300, segundo pesquisas recentes a junção dessas medicações para transtorno bipolar ajuda a aumentar o número de neurônios sendo bom para doenças degerenativas.
"Não há qualquer indicação que corticóide e depakene possam ter algum efeito em doenças degenerativas. Quanto ao uso de carbolítio os estudos atuais sugerem que não tenha nenhum efeito ou até mesmo seja prejudicial para pacientes com ELA."
Dr. Francisco Rotta

Tv